You are here
Home > Dicas > Como ir pro trabalho de bike?

Como ir pro trabalho de bike?

Quem leu o primeiro post desse blog reparou que eu já uso a bicicleta como principal meio de transporte no trajeto casa-trabalho todos os dias da semana – ou, quase todos os dias. E, recentemente, falando sobre isso no meu Instagram (@espimentel), teve uma seguidora minha que se interessou em começar a utilizar o trabalho pro deslocamento casa-faculdade e me pediu algumas dicas, declarando ser “desengonçada” na utilização de bicicleta. Conversamos por algum tempo e percebi que algumas dicas seriam legais de compartilhar aqui, pra quem tem as mesmas dúvidas, talvez. Veja abaixo:

Habilidades necessárias para se pedalar no trânsito

Pra essa, não tem jeito – apenas a prática vai te deixar mais confiante nesse sentido. Mas, recomendo alguns pontos que podem ser observados antes de se aventurar. E, o processo pode ser bem parecido quando vamos entrar na auto-escola ou quando acabamos de tirar carteira de motorista. Evite horários de pico, prefira dias mais tranquilos e com menos carros nas ruas. Domingo! Domingo é o melhor dia e recomendo que você simule o trajeto que você gostaria de fazer durante a semana. Uma outra dica, é tentar sair antes do trânsito ficar mais intenso em sua cidade. Hoje algumas ferramentas, como Google Maps, informam a situação do trânsito em tempo real e isso também pode ser observado no dia a dia. Via de regra, as 06h da manhã tem menos trânsito do que as 07h. Dependendo da sua cidade, as 09h o trânsito vai ser menos intenso do que as 08h.

Ocupe a faixa…

Ocupar a faixa, na ausência de uma ciclofaixa ou ciclorota, é melhor do que andar espremido próximo à calçada. De acordo com o artigo 58 do CTB, o Código de Trânsito Brasileiro, é permitida a utilização das faixas tanto por carros, motos como por bicicletas. Sendo que, no caso das bikes é recomendado o uso do bordo da faixa, ou seja, a margem. Normalmente, a faixa da direita é mais segura para o ciclista. Andar muito próximo da calçada, ou guia dependendo da cidade em que você mora, é perigoso, pois dá a impressão que o motorista não precisa se afastar de você e acaba sempre passando próximo de você, podendo criar situações assustadoras ou até mesmo acidentes – um simples toquinho no guidão pode te levar ao chão.

O site Vá de Bike trata esse assunto no detalhe. Acesse aqui.

Capacete, sempre. Fone de ouvido, nunca. Retrovisor, desde que seja um bom.

Assunto polêmico entre os ciclistas, atletas ou que usam como meio de transporte como eu. E, o título desse parágrafo é a minha opinião a respeito desse assunto. Eu não uso o fone de ouvido enquanto pedalo, nunca. Fico atento aos barulhos do trânsito, principalmente enquanto não compro um retrovisor decente pra minha bicicleta. O retrovisor, aquele que vem com a bicicleta e nada são as mesmas coisas, pode ser importante para aumentar a sua confiança ao pedalar no trânsito, principalmente sem vias específicas para isso. O retrovisor que veio na minha BTwin MTB 300, da Decathlon não me dava visibilidade, trepidava muito e era tão frágil que quebrou com dois dias de uso. Estou olhando algumas referências e, gostei muito da forma que o Victor Sabioni tratou esse assunto (aproveita e se inscreve no canal dele que vale muito a pena):

Sobre o uso do capacete, confesso que algumas vezes eu saio sem capacete, por esquecimento ou por correria, mas, eu me sinto mais confiante quando estou de capacete. Sem sombra de dúvida.

Sinalizações no trânsito

Os sinais são essenciais para que os motoristas saibam o que você pretende fazer. Uma conversão, um desvio, enfim – qualquer mudança na sua rota, pode e deve ser sinalizada. Pra ficar mais fácil, confira no vídeo abaixo, do canal Sikana Brasil:

Luzes e refletores

Colocar o vídeo mostrando as luzes que tenho, farol que pretendo comprar e os refletores que vieram na bike.

E aí, curtiu as dicas acima? Usa a bike pra ir pro trabalho, pra faculdade? Conta ai pra gente como é o seu dia a dia. Valeu!

Deixe uma resposta

Top