You are here
Home > Mobilidade Urbana > Gramado/RS e sua relação com a bicicleta

Gramado/RS e sua relação com a bicicleta

Bicicleta em Gramado

Nos últimos 10 dias, motivo de ausência de textos novos aqui no site, estávamos de férias, eu e minha esposa fomos enfrentar o frio nas Serras Gaúchas. Apesar de já ter passado o inverno deste ano de 2019, pegamos temperaturas baixas como madrugadas em torno de 4º e 5º e durante o dia a temperatura variando entre 8º e 15º.

Pra quem mora em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, onde a média, em agosto é próximo dos 22º e podendo chegar aos 30º, estávamos em uma região muito fria.

Paraciclo em Porto Alegre
Paraciclo localizado na Rua Miguel Tostes, na cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul

Iniciamos nosso passeio por Porto Alegre, onde avistei as laranjinhas do Itaú e alguns ciclistas passeando, mesmo em um dia frio. Rumo a Novo Hamburgo, casa de amigos onde ficamos o final de semana, não tive muita oportunidade de ver pessoas pedalando. Mas, na segunda-feira, quando fomos para Gramado, onde ficaríamos na cidade a semana inteira, me deparei com uma infraestrutura incentivadora para o uso da bike como meio de transporte.

Diversos estabelecimentos, como drogarias, padarias e cervejarias disponibilizam bicicletários e paraciclos para a segurança daqueles que optam por usar a bike como meio de transporte ou até mesmo como meio de deslocamento durante o turismo. Também encontramos algumas bicicletas disponíveis para aluguel, porém, não estava em nossos planos sair pra pedalar pela cidade. Um pouco por conta do frio e também por conta do cronograma apertado. Dividimos os dias entre passeios em Gramado, vinícolas no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves (aproximadamente 2h20min de deslocamento de carro, partindo de Gramado), a charmosa cidade de Canela e volta pra Novo Hamburgo.

Separei algumas fotos pra esse texto, com destaque para uma placa com gestos indicativos dos ciclistas, dando instruções básicas para uma locomoção segura e tranquila.

Região das Serras Gaúchas, obrigado pela experiência que, mesmo não pedalando um mísero km, deu pra sentir que a bike fez parte do meu dia a dia nessa viagem.

Deixe uma resposta

Top